Revolução ou evolução?

As vezes me pego fazendo jogo de palavras, de forma mental, para a partir delas fazer uma linha de raciocínio. Sim, talvez seja falta do que fazer, ou então a mania que tenho tido, ultimamente, de desconectar com o mundo ao redor e ficar recolhido aos meus pensamentos.

Mas, em um destes “joguinhos” -que invariavelmente me assaltam antes de dormir, e, geralmente quando as luzes estão apagadas e eu, relaxado o suficiente para ter preguiça de levantar e escrever a respeito, tendo então que confiar na memória- acabei aguçando a curiosidade para, no dia seguinte, de manhã, retomar o raciocínio.

Pois foi durante os últimos dias, onde, além de acompanhar as tendências mundiais, com a retomada de pensamentos revolucionários na população, que, nada mais é do que a expressão da insatisfação com os tempos atuais, que cruzei esse pensamento de revolução, com o intuito da evolução…

Pois bem, e será que revoluções nos levam à evoluções?

Então, para começar os trabalhos, como de costume, vamos ao nosso amigo amansa-burro:

re.vo.lu.ção
Substantivo feminino.
1.Ato ou efeito de revolver(-se) ou revolucionar(-se).
2.Rebelião armada; revolta, sublevação.
3.Transformação radical de estrutura política, econômica e social, dos conceitos artísticos ou científicos, etc.
4.Astr. Movimento de um astro em redor de outro. [Pl.: –ções.]

Hmm, vejamos… transformação radical… revolta… ok. Radical??? Pera…

Pedra? Eu vou de Papel...

Pedra? Eu vou de Papel…

ra.di.cal
Adjetivo de dois gêneros.
1.Relativo à raiz.
2.Fig. Fundamental, básico, essencial.
3.P.ext. Fig. Extremo, acentuado, de intensidade ou grau máximos.
4.Relativo ou favorável a mudanças sociais profundas, completas.
5.Caracterizado por falta de moderação, de transigência ou de flexibilidade na adesão a certas ideias.
6.Que envolve risco fora do comum e exige grande perícia.
Substantivo de dois gêneros.
7.Indivíduo que tem ideias ou práticas radicais (v. acepç. 4 e 5).
Substantivo masculino.
8.Gram. Parte invariável duma palavra; base.
9.Mat. Símbolo da operação de extração da raiz de um número ou expressão qualquer.
10.Quím. Radical livre.
11.Quím. V. grupo (3). [Pl.: –cais.]

Úrrú!!!

Úrrú!!!

re.vo.lu.ci:o.nar
Verbo transitivo direto.
1.Revolver ou agitar intensamente.
2.V. revoltar (1).
3.Causar mudança brusca ou notável em.
4.Provocar agitação, perturbação, excitação em (alguém).
Verbo pronominal.
5.V. revoltar (4).

Causar mudança BRUSCA EM… ou seja, em algo ou alguém… provocar…

e.vo.lu.ção
Substantivo feminino.
1.Deslocamento progressivo.
2.Série de movimentos concatenados e harmônicos.
3.Sucessão de acontecimentos em que cada um está condicionado pelo(s) anterior(es).
4.Processo de transformação em que certas características ou elementos simples ou indistintos se tornam aos poucos mais complexos ou mais pronunciados; desenvolvimento.
5.Biol. Segundo o darwinismo (q.v.), processo que, ao longo de sucessivas gerações, leva à diferenciação das espécies, determinado por mutações genéticas e por seleção natural. [Pl.: –ções.]

Calma lá, pessoal...

Calma lá, pessoal…

…série de movimentos concatenados e harmônicos… transformação…

E, é claro, não posso deixar de pensar que, alguém que conseguiu evoluir, é chamado de ser evoluído…

e.vo.lu.í.do
Adjetivo.
1.Que atingiu elevado grau de desenvolvimento, de cultura, etc.
2.Apto a aceitar novas ideias, novos padrões de comportamento; adiantado, avançado.

Apto a aceitar novas ideias… novos padrões…

Bem, acho que consegui os elementos que precisava para aumentar a linha de raciocínio…

Enquanto a a revolução é uma atitude, ou, um ato radical e extremista, a evolução já é mais progressista e constante…

Bem, daí daria para fazer uma piadinha explicando o porque o pessoal socialista que prega a revolução, nunca acertou no nível de evolução… pois ela exige progresso e constância…

Como é?! Vou lhe apresentar um amigo meu que adora essas piadinhas... se chama EL PAREDÓN!!!

Como é?! Vou lhe apresentar um amigo meu que adora essas piadinhas… se chama EL PAREDÓN!!!

Mas, voltando ao assunto, saindo da esfera política, ainda podemos traçar paralelos para outros âmbitos… revolução ou evolução?

Seriam paradoxos entre si? Exclusivos entre si?

Acho que não, afinal, há casos onde uma evolução passa por um início revolucionário… ou assim alguns pensam…

O termo revolução já nos remete a algo radical… e, para mim, radicalismos nunca acabaram bem na história da humanidade… ou, pelo menos a longo prazo tendem a gerar grandes cagadas problemas para a humanidade…

Esse verme tá tirando uma com a nossa cara, camarada?! Vamos mostrar-lhe o bem social lá no além...

Esse verme tá tirando uma com a nossa cara, camarada?! Vamos mostrar-lhe o bem social lá no além…

A revolução, no mesmo amansa, utilizou o termo “revolta”…

re.vol.ta
Substantivo feminino.
1.Ato ou efeito de revoltar(-se).
2.Manifestação (armada ou não) contra autoridade estabelecida.
3.V. revolução (2).
4.Indignação; repulsa

Hoje jantaremos no inferno!!! E depois escovaremos os dentes com a nova pasta Colgate Luminous White que branqueia os dentes e...

HOJE JANTAREMOS NO INFERNO!!! E depois escovaremos os dentes com a nova pasta Colgate Luminous White que branqueia os dentes… sente o bafo de hortelã…

Vejamos aqui que indignação pode gerar manifestação… e, armada, talvez…

É por isso que falo com cautela sobre revolução, afinal, por mais que ela seja um ato de descontentamento, ou uma vontade de mudar as coisas, ela ainda pode produzir efeitos piores do que aqueles que podemos combater…

“Então ficamos parados esperando?”; “Fazer nada aí sim é que não produz efeito nenhum”, dirão… e com razão…

Mas, notemos que o conceito de evolução, que CREIO EU, seja a meta final de todos nós, nos leva a deslocamento progressivo, movimentos concatenados e harmônicos, transformação e DESENVOLVIMENTO…

Para mim, esse cara desenvolveu problemas mentais, isso sim...

Para mim, esse cara desenvolveu problemas mentais, isso sim…

Bem, acho que notaram o meu ponto…

Pois eu digo que a Revolução e a Evolução não são paradoxos… são polaridades opostas de uma mesma coisa: a vontade de mudar… e, dessa vontade, geralmente vinda de algo profundo, interno e que só nós podemos explicar, surge a vontade da mudança… agora, como você irá proceder com essa mudança é que fará toda a diferença…

Radicalismos ou harmonia?

Revolta ou concatenação?

Quebradeira ou desenvolvimento?

Ok, já me entenderam…

O proposto é mostrar que podemos ser construtivistas ou destrutivos… e há quem ache que devemos passar pelas duas etapas para se atingir a meta. Para MIM, não. Ou, pelo menos, não no sentido em que estão nos incutindo na mente nos últimos tempos.

A revolta pode ser interna. A rebelião pode ser contra seus próprios vícios e maus costumes. Atacar seus próprios inimigos internos. Seus pensamentos destrutivos… e não contra outras pessoas…

Lembremos o dia da traição do Aceto Balsâmico!!!

Lembremos o dia da traição do Aceto Balsâmico!!!

Não me seguiram agora?

Pois bem, o ato revolucionário maior é implantar em si mesmo a mudança. Mude-se antes de mais nada. Crie black blocks internos que vandalizem e matem seus maiores vícios. Mande-os depredar seus castelos de resistência à mudança. Digam que atirem fogo em todas suas construções arraigadas em filosofias ultrapassadas, preconceituosas e nocivas ao bem comum. Aí, ao final dessa sua mudança interna, quando tornarmo-nos pessoas melhores, com uma visão maior e mais ampla, talvez aí notemos que nossa revolução virou evolução. E, com essa nova visão, percebamos que não podemos revolucionar a vida alheia sem que estas pessoas não tenham passado pelos mesmos processos internos. Do contrário, o que VOCÊ chamaria de revolução, para outros, seria apenas uma invasão de seus direitos… mesmo que esse direito seja de permanecer estagnado. E é de direito de todos a estagnação, embora, pouco útil. Alguns, sequer percebem que estão nesse estado, e, talvez aí, você com sua vontade de auxiliar, possa fazer alguma diferença…

E nem precisa perder tempo mudando de roupa...

E nem precisa perder tempo mudando de roupa…

De boas intenções o inferno está cheio, já disseram. E é verdade… grandes revoluções baseadas em grandes idiotices já foram tentadas. Já vimos grandes mudanças que geraram enormes merdas confrontos. E, atos radicais e revoltosos, sem o uso do material interno que temos em nós, ou, a boa intenção primordial, tendem a seguir essa mesma linha.

Olhemos para dentro antes de olhar para fora. O mundo precisa de ajuda sim, mas, ele só será fortalecido se os componentes vivos que o compõem estiverem equilibrados.

Não basta apenas encontrar o inimigo fora, é necessário que antes, o eliminemos de dentro de nós.

Usando uma figura de linguagem que uso frequentemente, poderíamos dizer que: se sua casa está enfestada de baratas e sua cozinha está cheia de restos e louça suja empilhada, por mais que você mate as baratas à chineladas ou com sprays de veneno, elas sempre voltarão… pois o problema não são as baratas, pois é de sua natureza sobreviver de restos e de lixo. O problema é que você não lavando sua louça, permitirá sempre que elas voltem… é VOCÊ que as chama de volta… então, não as culpe por sua própria porquice falta de capricho… mude sua vida, lave sua louça, limpe sua casa e as baratas sumirão… não terão do que se alimentar lá…

Revolucione-se e evolua…

frase-a-verdadeira-revolucao-nao-e-revolucao-violenta-mas-a-que-se-realiza-pelo-cultivo-da-jiddu-krishnamurti-127494

frase-a-nao-violencia-leva-nos-aos-mais-altos-conceitos-de-etica-o-objetivo-de-toda-evolucao-ate-thomas-edison-135598

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s