22/12/2012 – Não acabou…

O dia depois do fim…

A famigerada data de 21/12/2012 passou, e, com ela, foi-se a paranoia de fim-de-mundo. Ou não?

Catando pela internet, já achei coisas para 2014, 2016 e por aí vai… agora, eu pergunto: faz diferença ficar cogitando quando a coisa acaba?

A maioria dirá: Claro que não! Temos que viver o hoje, o presente…

E eu digo: Conhecer ciclos é sim uma maneira inteligente de programar-se para o futuro. Os antigos que mapearam os céus, sabiam as datas corretas para plantar, para colher, quando haveria secas, quando marés se alteravam e, a partir daí, puderam usar a estratégia para agir de forma eficaz, e não apenas agir…

Isso é ponto fundamental na vida de todos nós, afinal, se alguém não parasse para examinar a maneira que se agia e tentar pensar em algo melhor, as rodas ainda seriam quadradas…

Mapear ciclos, rever conceitos e reiniciar de forma mais eficiente é o que eu denominaria como processo evolutivo…

É óbvio que o mundo não terminaria assim, sem mais nem menos e com um acontecimento inesperado. Estamos na era da informação. E isso é bom e ruim ao mesmo tempo. À medida que podemos pensar juntos, ainda ficaremos à mercê de malas-sem-alça tentando convencer a todos com suas óticas doidas.

E nós que surtamos, somos os culpados pela falta de informação, ou, pela não investigação da informação recebida. Somos crédulos demais…

Jesus dizia que “conheça a verdade e ela vos libertará…”. Hoje em dia, por exemplo, nos tribunais temos a “Deturpeis a verdade e ela vos libertará…” numa sociedade em que sabemos que, se leis dão margem à interpretação livre de advogados (ou operadores de direito) com devaneios artísticos, é porque a coisa tá totalmente errada.

O certo e errado é binário. Ou é ou não é… não existe meio grávida ou meio gay… ou é ou não é e ponto…

Da mesma forma, nossa retidão moral também não pode variar… você aí que achava que o mundo ia acabar e resolveu purgar um pouco da culpa e tentou ser bonzinho nos últimos dias, para, quem sabe, morrer com a consciência tranquila, um conselho: continue fazendo isso. Não é porque o mundo não acabou que você (nós) tem que voltar a ser aquela mala que sempre foi. Aquela criatura egoísta que só resolve fazer algo de bom quando tenta fazer média com alguém (nesse caso, com o Criador pelo medo da morte).

“Tá, onde é que tu quer chegar com essa lenga-lenga toda”, estão se perguntando…

Eu respondo:

Finjam que o mundo como o conheciam realmente acabou. Pensem que hoje, dia 22/12/12 é o primeiro dia de um mundo novo. De um mundo em que todos podemos ser quem quisermos ser. Que estamos livres das amarras que tivemos até hoje. Que podemos ser livres par agir da maneira que nossas mentes  e nossos corações exigem. Que o sentimento de bem-comum se estabeleça sem termos a necessidade de uma catástrofe iminente para nos comover a tal. Que todos possam viver de acordo com suas vontades, e que nossos egoísmos desapareçam, afinal, como sabemos, no dia em que o mundo acabar de fato, acabará para todos nós. De forma igual.

Que o dia 22 represente o primeiro dia de uma nova era. Uma era em que pessoas deixem suas ignorâncias e busquem a verdade nua e crua ao invés de mentiras amenas. Que os enganadores tenham suas persuasões cassadas e sejam desmascarados. Que possamos ser autênticos, simples, singelos sem medo de estar adequado ou não a cultura, fatores locais ou normas. Afinal, nenhuma norma supera a regra básica da moralidade. NÃO FAÇA AOS OUTROS O QUE NÃO GOSTARIAM QUE FIZESSEM PARA TI…

Claro, essa adequação leva um tempo… leva à reflexões interiores, confrontos, conflitos, e, ao final, o entendimento. Toda tese tem que ser a antítese para finalmente virar síntese…

Confrontem-se… perguntem-se se esse mundo que terminou era o mundo que queriam para si… criemos o novo mundo… começando por criá-lo dentro de suas consciências…

Como diria Morgan Freeman em “O todo poderoso”: Quer um milagre? Então SEJA o milagre…

Simples assim…

Anúncios

Mundo real?

Dizem todos que a fase atual está nos levando à reflexões íntimas que podem levar-nos à conclusões e à mudanças tão radicais que, certamente, questionam em que mundo vivíamos até então?

Acho que todos conhecemos alguém (ou nós mesmos) que estão passando ou passaram por turbulências ultimamente, inclusive, com o que chamamos de disfunções psicológicas. Alguns, inclusive, tendo que tomar medicações para regular seus cérebros aos funcionamentos “normais”…

Pois eu pergunto a todos: O que é normal?

O que entendemos por normalidade?

normal: adj.Conforme à norma; exemplar.Escola normal, aquela, cujos alunos se preparam para o professorado. F. Linha recta, que passa pelo ponto de tangência e é perpendicular à tangente de uma curva ou ao plano tangente de uma superfície. (Lat. normalis)

“Conforme à norma”… interessante… e quem é que fez estas normas que definem esse conceito?

Os religiosos falam que Deus as fez, os ateus dizem que o homem, ao evoluir, as fez… e, eu acrescentaria que: normas são feitas de acordo com o conceito de alguém, tentando racionalizar/moralizar/CONTROLAR alguma coisa.

Ser normal é estar dentro das normas. Mas, convenhamos, pelo andar da carruagem do que vemos no mundo atual, temos que concordar que seguir normas pode não ser algo benéfico sempre…

Há normas que dizem que devemos soltar presos em épocas de natal… mesmo que eles reincidam em seus crimes… é normal?

Aprendi na escola que quem inventou a produção em série foi Henry Ford… mas, tempos depois, aprendi que há 2000 anos atrás, ferreiros da China ainda não unificada já produziam espadas e pontas de flecha em moldes de barro, com ligas de mercúrio e tudo…

Aprendi que a maior pirâmide do mundo era a do Egito, para depois ver que existem pirâmides em lugares do mundo que sequer nos foram mencionados na escola… A maior, atualmente, é a da Bósnia… você sabia que existia pirâmides lá?

Aprendi que ET’s não existem… e, hoje, vejo políticos discursando sobre a existência de ET’s…

Enfim… o que era normal antigamente está bem diferente hoje em dia…

Ou, para os antigos, o mundo de hoje não é nada normal… embora os cidadãos de hoje em dia achem que é…

A eterna discussão segue até hoje: Loucos x Racionais…

Agora, fica a pergunta: Quem são os loucos e quem são os racionais?

Declaração do Ex-Vice-Primeiro-Ministro do Canadá: http://provafinal2012.blogspot.com.br/2010/03/ovni-incrivel-declaracao-de-paul.html