Mudando aos poucos…

Como agir naturalmente com algo que hoje não lhe parece nem possível?

Explico…

Você, por acaso, acha que deve ser mais tolerante, ou que deve escutar mais do que falar, por exemplo. Como conseguir isso de forma a, um dia, isso transparecer naturalmente sem nem necessitar se policiar para não pisar na bola?

Bom, eu não sou terapeuta e tampouco algum místico para dar fórmulas mágicas, então, vou falar apenas baseado em meus “achismos” e experiência de vida…

Alguns passos são necessários para absorvermos novos conceitos, e, futuramente, tê-los gravados em nosso DNA…

Primeiramente aceitar o conceito. Se você torce o nariz para aquela ideia, então é melhor nem tentar coloca-la em prática. Em miúdos, o tal “vamos ver no que dá…” é pura perda de tempo. Se não for um conceito assimilado, digerido e que lhe pareça normal, plausível ou, pelo menos crível a longo prazo que seja, é melhor nem começar, amigo…

Após a aceitação dessa ideia, forme imagens mentais… durante períodos de relaxamento, antes de dormir, ou sentado no trono que seja… forme pensamentos de como irá proceder em relação àquela ideia, de como será o seu dia a dia enquanto este conceito estiver se fortalecendo dentro de você. Imagine-se na tal situação.

O passo seguinte é o de exercício. Sim, exercitar aquela ação. Se for tolerância, por exemplo, policie-se e, quando alguém te tirar do sério, exercite seu corpo, mente, morda os dedos, respire fundo, conte até milhões até engolir o sapo sem agredir ou sair do seu equilíbrio. Eu acredito na teoria das energias. Somos todos energia em movimento. Então, enquanto energias, estamos em consonância ou dissonância com outras energias. Quanto mais nos aproximarmos de energias boas, mais repeliremos as ruins e, consequentemente, limparemos nosso ambiente com simples ações e pensamentos. Tente, de início, pelo menos não reverberar más energias em seu ambiente. Que aquela má energia termine ali, pelo menos. Exercitar constantemente requer, é claro, extremo conhecimento próprio. Saber seus limites, saber controlar impulsos e, a partir daí, conseguir evitar ambientes insalubres, pessoas incompatíveis e a driblar velhas barreiras conhecidas. Conhecer a si é o início de tudo, sempre.

A partir do momento em que exaustivamente (sim, não é fácil) repetirmos este padrão, em um determinado momento, ele nos parecerá normal, fará parte de nossa estrutura, nossa personalidade a tal ponto que não mais precisaremos nos policiar para agir daquela maneira. Alguns podem chamar isso de educação dos sentimentos. Não que eu ache que se ensine algo a alguém que ela já não saiba (pelo menos de forma latente), pois sentimentos todos temos. Bons e ruins. O que eu me refiro, neste caso, é que refreemos os ruins a ponto deles praticamente não mais se manifestarem e deixemos os bons aflorar de forma que simplesmente transpareçam em nós sem que precisemos fingir ou tentar parecer de tal forma…

Não, não é propaganda da Activia para mulheres com intestino preso…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s